ACT COACHING. EM TODO O BRASIL NÓS TREINAMOS LÍDERES.

COACHING

EM FOCO

A ESPIRAL DO COACHING

EM GRUPO.

COACHING EM GRUPO É O MESMO QUE COACHING INDIVIDUAL?

          Quando se trata do que realmente funciona a respeito de mudanças através do Coaching em Grupo, não existe escassez de ajuda. Eu realmente admiro o trabalho dos pioneiros da gestão de mudança como Richard Beckhard, Kurt Lewin, Willina Bridges, Daryl Conner, Ed Schein, Noel Tichy, John Kotter, John Maxwell, Joseph O'Connor, Michael Hall, Antony Hobbins, Timothy Gallway e John Withmore. Seus trabalhos nos foram muito úteis para compreendermos como as mudanças de sucesso acontecem nos grupos.

          Entretanto, o mundo do Coaching também está cheio de todo tipo de profetas, evangelistas, ratos movendo queijos, institutos mercenários, órgãos internacionais que só existem na internet e vendedores de cursos online com as mais recentes e maiores panaceias, que irão miraculosamente consertar tudo. Todos têm uma opinião sobre o que funciona - incluindo eu, caso contrário não estaria escrevendo o que lê agora. Mas existe uma grande diferença entre uma opinião e um conjunto comprovado de processos, habilidades e ferramentas.

          Desde 2007, estou em busca de processos, habilidades e ferramentas para ajudar pessoas como você. Particularmente à partir do final de 2010 tenho ajudado grandes organizações privadas e públicas, que queiram ser capazes de implementar mudanças de maneira mais eficaz. Já ensinamos milhares em todo o Brasil a construírem competências de gestão através do Coaching em suas organizações, e a metodologia que usamos está descrita ao longo deste texto.

          O que encontramos é que o processo de Coaching em Grupo percorre um curso parecido, independente do tamanho da organização ou do tipo de mudança. Ao ensinar às pessoas como gerir o processo, você radicalmente aumenta as probabilidades de as mudanças serem implementadas de maneira eficaz e de a organização ou grupo atingirem seus objetivos.

          Como tal, este texto é feito para Coaches - pessoas habilitadas que receberam significativas ferramentas para planejar e executar mudanças. Se isso parece com você, então continue a ler.

          Com frequência, você precisará ajudar a gerar resultados em ambientes difíceis e complexos. Os resultados propriamente ditos podem variar se ele ocorre em um call center, fábrica, unidade de negócios ou envolver mudanças globais em toda a companhia. Você poderá trabalhar em uma organização privada, pública ou sem fins lucrativos. Você poderá atuar em qualquer nível da organização. Tudo o que precisará é ajudar pessoas a responder à questão "como eu faço isso acontecer?"

          O desafio real que encaramos a respeito do Coaching em Grupo me foi lindamente revelado nos estudos de David Miller, criador da metodologia PCI® (People-Centred Implementation), que relata uma entrevista de um programa da rádio BBC. "Jane Joyner, chefe da Education Standards Authority do Reino Unido, estava explicando ao apresentador John Humphreys, como 14 escolas falidas tinham todas conseguido sair das "medidas especiais". Ela continuou a falar sobre como uma forte liderança, disciplina e uniformes escolares ajudaram a transformar essas escolas. Mas, em especial, ela estava enfatizando que essas escolas tinham construído "planos de ações de mudança" e os tinham implementado com sucesso."

          Ceticamente você pode me replicar: "Isso tudo parece uma afirmação do óbvio", "bem senso comum", "planos de ações de mudança? O que poderia ser mais fácil?". O problema, como muitos de nós sabemos, é que implementar mudanças com sucesso geralmente não é tão fácil - o abismo entre teoria e prática pode ser imenso. De fato, se a única competência de que os grupos precisassem fosse serem capazes de "construir bons planos", o domínio de mercado seria conquistado por aqueles que contratassem os melhores consultores estratégicos.

          O grande desafio do Coaching em Grupo é desenvolver a estratégia apropriada e então implementá-la brilhantemente. Olhando para a evidência, a mais difícil das duas é a implementação. Afinal, não é raro as organizações desenvolverem estratégias similares, mas uma executa a estratégia com mais sucesso do que a outra. A batalha entre a Coca e a Pepsi é uma luta contínua pela supremacia. Ao longo de décadas, suas estratégias têm sido muito parecidas, mas cada uma dominou em épocas diferentes. E seus respectivos domínios têm recaído, muito frequentemente, sobre a liderança e a execução.

Geralmente, os grupos sabem o que têm de fazer. Executivos seniores são usualmente comprometidos com a ideia de mudança. Contudo o sucesso do Coaching em Grupo não é alcançado por aqueles que possam construir a melhor estratégia, mas na verdade por aqueles que possam implementar a estratégia escolhida de maneira a praticá-la.

          A dinâmica de atividades que promovem os grandes resultados através das sessões de  Coaching em Grupo é sugerida através da aprendizagem do Espiral do Coaching em Grupo. São 5 etapas, reiteradas ao longo do tempo, conforme demonstra a figura:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(A) - Apreciação do Problema 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"Proíba as emoções e as pessoas se tornarão vazias, elas perderão suas almas." Grinder

Na fase da Apreciação do Problema requere-se o compartilhamento pessoal dos saberes. Nessa fase ninguém pode falar por outra pessoa (já é difícil o bastante para cada um de nós falar por si com clareza). Entende-se inicialmente que o que transita não são apenas informações mas também crenças, imagens da realidade e visões pessoais do futuro. Assim, acolhe-se plenamente as incertezas individuais, em especial medos e quaisquer prognósticos negativos.

 

Vá com calma com o imperativo

O imperativo se mistura com o medo, com a incerteza e com a dúvida, que por sua vez criam a imobilização.

  • Você quer que as pessoas sintam que não podem ficar onde estão?
  • Você quer elas acreditem que o estado atual é um lugar desagradável e insustentável?

Sua função como Coach de um grupo e retirar as pessoas de suas zonas de conforto, mas não para longe demais. Se as pessoas ficarem com medo de mudanças e com receio do , elas ficam imobilizadas e incapazes de agir.

 

Vá com calma com a Visão

Se houver visão demais, as pessoas podem se tornar otimistas em excesso e ignorar os custos reais da mudança.

  • Quer que as pessoas sejam motivadas e dirigidas pela visão de mudança?
  • Como convencer as pessoas sobre o seu programa de Coaching em Grupo?

Na verdade, é melhor que as pessoas sejam muito claras sobre uma mudança do que estarem animadas com uma definição de mudança obscura, de certa forma nebulosa.

 

Solução

Informe às pessoas como a solução será projetada e construida. Assegure a elas que o processo de coaching que você está usando facilitará o projeto de solução

  • Como você extrairá um mapa para a solução do problema do grupo?

Sem fornecer essa solução, você pode criar mais ansiedade e preocupação.

 

(E) - Empoderamento da Capacidade do Grupo 

   

 

 

 

 

 

 

 

 

      

          Um tema recorrente a ser trabalhado no Coaching em Grupo é a tendência das pessoas para reter seus conhecimentos, tanto o explícito como o tácito[1]. Mesmo as que não o fazem intencionalmente podem simplesmente não estar motivadas a transferir o que sabem. Assim, encoraja-se o compartilhamento individual e a vasta exploração das ideias, como também a significância da força coletiva e as melhores saídas. Para tanto, define-se papéis, cria-se regras de convivência e de como lidar em casos de conflitos.

 

[1] Conceito criado pelo cientista e filósofo húngaro-britânico Michael Polanyi (1891-1976) para demonstrar que todo conhecimento tem duas faces obrigatoriamente ligadas: conhecimento explicito (que pode ser transmitido de maneira formal e codificada) e conhecimento tácito (de difícil codificação e expressão, incorporado à experiência individual, carregado de insights, palpites, crenças e perspectivas altamente pessoais. Ele é subjetivo e intuitivo).

 

  • O que o grupo ganha unindo-se?

  • Quais os valores de estar-se no grupo?

  • Quais as posições de autoridade no grupo?

 

(I) - Instalação do Objetivo 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

          Muito frequentemente, várias ideias são na verdade muito boas dentro do Coaching em Grupo. A questão, entretanto, é que profissionais podem passar tempo demais criando estratégias e olhando para soluções através das sessões de "O QUÊ" - chegando ao ápice de 90% de ideias - e pouco tempo olhando para o "COMO" (para a implementação do "COMO", absurdamente o que observa-se, são apenas 10% de execução). E se apenas 10% do tempo da equipe é gasto tentando-se descobrir como as mudanças serão implementadas efetivamente, então tudo o que você tem no final são ideias de alta qualidade com implementação de baixa qualidade.  E como resultado, o negócio não obtém a recompensa integral da iniciativa.

          Faz-se necessário então o emprego contínuo de metodologias apropriadas de Coaching em Grupo e o que mais vier a gerar o verdadeiro Road Map para o grupo agir.

 

  • O grupo tem os recursos necessários para realizar o plano?

  • Você sabe o que é SMART?

  • O que conhece sobre Oracle, 5W2H, Canvas Coaching, Efficient Coaching, Goal Setting e demais ferramentas de Coaching em Grupo?

  • Qual a melhor ferramenta para a Definição de um Objetivo em grupo?

 

(O) - Orquestração do Grupo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um grupo pode se tornar Funcional, Altamente Funcional, mas um grupo pode, igualmente, se mover na direção oposta e se tornar Disfuncional. Então, à medida que você faz Coaching em Grupo, você precisa ter uma visão clara de com o que se parece um grupo funcional e disfuncional e como eles operam.

 

Um grupo funcional:

  • É capaz de trabalhar junto, combinar recursos, coordenar horários e comunicações;

  • Possui atitude de igualdade, distribuição de poder e tomada de decisão;

  • Sao proativos, tomam iniciativa e cada membro assume responsabilidade por si próprio;

  • Possui membros com habilidades necessária para o seu papel;

  • Possui senso de identidade, entusiasmo, foco e cooperação

  • É capaz de se adaptar, crescer, aprender e ser divertido.

 

Um grupo disfuncional:

  • Superficialidade; afirmações de aconselhamento; silêncio; pressuposições; fuga pela tangente; leitura mental e projeção; culpar e acusar; fazendo-se de vítima indefesa; brigar e atacar; conspirar...

          

          Saber orquestrar o grupo, proporcionará conhecimento e gerará capital intelectual[2].

[2] A soma do conhecimento de todos em uma organização é o capital intelectual. É o resultado da integração de ativos como o capital humano próprio da empresa (competências dos empregados, conhecimento disponível sobre o ambiente interno e o externo).

 

  • Como você se prepara para lidar com conflitos em grupo?

  • Há diferenças entre um Grupo e uma Equipe?

  • Como transformar um Grupo em um Equipe?

  • Qual é a visão de uma equipe altamente efetiva?

  • Como o grupo lida com emoções?

  • Como evitar a montanha-russa da mudança?

 

(U) - União com o líder 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

          Muitos executivos buscam o Coaching pois almejam fortemente uma posição de liderança. Querem passar a ser chefe, ter uma equipe para desenvolver e aprimorar seus projetos e ter a possibilidade de fazer mais através de uma equipe. A realidade mostra que os primeiros passos são sempre mais difíceis.

          Em primeiro lugar, a maioria dos líderes recebem uma equipe que não foi responsável pela seleção e muitas vezes há alguém no grupo que almejava a posição. Uma segunda dificuldade dos líderes é mudar o perfil do trabalho. Quando trabalhava sozinho, sabia seus potenciais e limitações. Agora com o grupo, tem de entender como motivar e fazer com que o time queira entregar o máximo.

 

  • O grupo terá um líder ou todos lideram?

  • Qual ferramenta poderá ajudar o líder do grupo a desenvolver-se individualmente e em grupo?

  • Sua presença no grupo é uma ameaça à liderança do atual líder?

  • Como ajudá-lo a escalar os "Degraus de Conquista de Corações"?

  • Como manter a autoestima do grupo perante o líder?

  • Como desafiar o desempenho do líder abaixo do padrão?

 

          Aos que buscam sempre mais, o Espiral do Coaching em Grupo lhe dará um diferencial competitivo extraordinário. Ela é uma ferramenta e também um trabalho reiterado ao longo dos processos em grupo. A sua utilização por Coaches Executivos está formando uma rede de conhecimento, destacando práticas eficientes e fornecendo guias para seu uso de forma útil e prática.

          À medida que se capacita, entrará em um circuito de aprendizagem confortável e estimulante, como eu mesmo encontrei. A jornada de aprendizado do Espiral do Coaching em Grupo foi construída elegantemente para fazer da jornada do Coach uma caminhada por terras exóticas - com novas perspectivas, como a luz lançada contra a escuridão e, com vistas encantadoras de sabedoria, abrindo-se a cada volta. Aos que fizerem a pergunta "O que mais especificamente é preciso para facilitar o Coaching em Grupos?", as respostas também poderão ser encontradas na especialização Business and Executive Coaching.

 

Thiago Geordano, Master Coach Trainer - Act Coaching.

SOLICITE ATENDIMENTO.

EM TODO O BRASIL.

A ESCOLA QUE MAIS TREINA LÍDERES E EXECUTIVOS NO BRASIL.

Central de Atendimento Personalizado

 

São Paulo

Alameda Santos, 1123  - Cerqueira César. 

CEP: 01419-001 - São Paulo, SP

[email protected]

11 40637043

 

Goiânia

Rua João de Abreu, Ed. Euro Working,

12. Andar - Setor Oeste.

Goiânia-GO, CEP: 74120-110

[email protected]

62 39540455

0800 006 8333
ATENDIMENTO EM TODO O BRASIL
SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS:
  • Facebook Clean
  • White YouTube Icon